Viagem a Andrômeda

Hoje sai de mim.
Me desprendi de minha casca.
Levantei.
Por um feixe iluminado parti.
Vi a Terra se distanciar,
Este lindo lar azul ficar cada vez menor.
Passei pela Lua.
Numa velocidade estonteante,
Via se aproximar Pégaso.
Um brilho inigualável surgia a minha frente.
Lá estava, linda, Andrômeda.
Passei por Sirrah, Mirach.
Em Almak encontrei irmãos de luz,
Cujas mensagens enxeram meu coração de alegria.
Alertaram-me porém: “Teu lugar é junto as Pleidades”.

Anúncios

Sobre belbute

"A mente que se abre a uma nova idéia, jamais retornará ao seu estado original" (Albert Einstein)
Esse post foi publicado em Belbute. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s