Reflexo

Hoje olhei-me em um espelho.

Vi um carvalho, neste dias em que o termômetro marco o zero negativo.

Sua copa estava alva, pelos flocos de neve que se acomodaram lentamente.

Sim, estas são as marcas de uma vida com muito pouca rotina.

Os cabelos já não estão castanhos como a algum tempo.

No princípio era majestoso, com muitos galhos, folhas e frutos.

Agora, são poucos os galhos, quase não existem mais folhas e quanto aos frutos, o último caiu e com ele levou a esperança de renascimento de outro.

Olhei-me em um espelho.

O futuro já não existe, pois o que sobrou no presente é o reflexo de um duto e simples, triste e feliz, amargurado e terno passado.

Olhei-me em um espelho.

Agora, porém, olho-me diretamente e analiso seus traços.

Já não são mais reflexos, pois agora assisto o que ocorre no passado, o que se passa no presente e o que permanece no futuro.

Soltei meu desabafo: Ufa!

Exalto a glória do acontecimento:

Finalmente estou vivo….

Silvio Belbute

Anúncios

Sobre belbute

"A mente que se abre a uma nova idéia, jamais retornará ao seu estado original" (Albert Einstein)
Esse post foi publicado em Belbute. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s